domingo, 11 de fevereiro de 2007

Lendo, lendo e lendo.

Uma da poucas (!) coisas que tenho feito para não me considerar em estado de completa letargia.
Talvez para compensar o que não pude fazer em anos anteriores por causa dos estudos, talvez para dar vazão a um prazer reprimido, talvez porque simplesmente gosto...
Lendo muito, sem critério rigoroso quanto à qualidade literária, porque além do conhecimento que me falta neste quesito, o que eu gosto é de ler, pouco importando a erudição do texto.
Se bem que sempre se aprende, querendo ou não.
Foram nos romances mediúnicos colecionados por minha mãe que aprendi um pouco mais sobre os costumes do Brasil na época do descobrimento, na época da libertação dos escravos e até mesmo sobre os EUA, quando da guerra da Secessão.
Depois de O Caçador de Pipas, tive a audácia de ler, antes de entregar, um dos livros que eram presentes para minha mãe, Encontros com a Verdade de Elisa Masseli, um outro romance espírita.
A bem da verdade, em 2007, depois destes dois citados, vejam bem estamos nos primeiros dias de fevereiro, já foram lidos:

3. Memória de Minhas Putas Tristes Gabriel García Márquez
Jornalista que decide comemorar seus noventa anos com uma jovem virgem.

4. Até que a Vida os Separe – Mônica de Castro
Na época do Holocausto uma família de brasileiros adota um bebê judeu, que a fim de protege-lo num gesto desesperado foi entregue por sua mãe àquele casal desconhecido.

5. Medo de Amar – Marcelo Cezar
Em plena época da ditadura, DOPS, COI, mulher se casa com homem rico por interesse, passando por cima de todos os interesses alheios para conseguir seu intento.

6. Quando o Passado Não Passa – Elisa Masseli
A história de uma jovem portuguesa de familia nobre que se apaixona por negro escravo e de sua amiga pobre que é estuprada pelo pai do noivo e depois é acolhida por ciganos.

7. A Vida Sempre Vence – Marcelo Cezar
Estados Unidos, época da Guerra da Secessão, morte do presidente Lincon, cinco amigos americanos compram uma fazenda de café e se mudam para o Brasil, onde praticam por vontade própria e com sucesso a abolição da escravatura em suas novas terras.

8. A Força do Destino – Maria Yvonne Santana Ramaciotte
Século IX – Portugal, uma jovem se apaixona pelo melhor amigo de seu noivo. A paixão reacendida como que por encanto vinda de outras vidas.

9. Fortaleza Digital – Dan Brown
Suspense Tecnológico

10. Reflexo - Mary Sheldon
Depois de um casamento problemático casal se separa. Quem ficará com a filha? Em capítulos alternados e em situações semelhantes a vida da garota em cada uma das situações. Por exemplo, com a mãe ela é estrela de um seríado de televisão, com o pai o mesmo seríado é seu programa predileto. Interessante.

11. Além do Infinito Azul - Antonio Demarchi
Dois jovens médicos e amigos se apaixonam pela mesma mulher. Em nome da amizade um deles abre mão de seu amor.

12. A Herança – Louisa May Alcott
Século XIX, na Inglaterra, jovem órfã é adotada por uma família nobre. Ela carrega um segredo e possui um amor, mas sua alma pura e grata faz com que se cale pela felicidade dos que a acolheram (água com açúcar, mas gostei).

13. Na Ponta dos Pés – Ana Cristina Vargas
Romance espírita: vínculos entre pessoas, mães e filhos, explicados ao longo de vidas passadas. Escrito de forma diferente dos demais do gênero (vou mandar para minha mãe pelos Correios).

Ainda nas possibilidades, talvez seja compulsão, talvez seja escapismo, talvez seja apenas um vício saudável. Que seja o que for, eu gosto e é isto que me mantêm afastada um tanto quanto de outros afazeres, como blogar.
No momento lendo Jules e Jim, o Roteiro, o Romance.


2 comentários:

Meia disse...

Até que eu queria ser do tipo que lê mas não consigo. Acho que vou começar a colocar o close caption na tv pra ver se me acostumo a ler. (ic)

Vivi disse...

Eu ando muito relapsa com minhas leituras, mas voltarei.
Adoro Zibia :)