domingo, 27 de abril de 2008

Uma outra visão do mundo

Ler blogs, isto não me pertence mais...
Mais uma madrugada trabalhando.
Hoje ganhei uma lente de contato, grátis, free, na faixa.
Por que em loja de rico somos tratados como reis? Fui lá fazer meus óculos, um de sol, outro normal. Tomei cafezinho feito na hora, exclusivamente para mim e para minha tia, ela deu uma regulada na armação ("di grátis também") e eu ainda ganhei um par de lentes de contatos, tipo assim, só para ver como é que é...
Gente! Como o mundo é bonito!
Eu vi as folhas da árvore que eu acho bonita no caminho de casa - ela não é um enorme borrão verde.
Eu li as placas que estavam lá longe.
Eu consigo ler o nome dos livros da minha estante sem precisar chegar perto.
Acho que vou procurar o Dr. Fritz e operar minha miopia, o mundo tem contornos definidos e eu tinha esquecido.
Mudando de assunto, estou me sentindo tão bem, fazer boas ações é bom demais. Dar a mão para sua melhor amiga, quando ela já estava desacreditando de que lá no final do túnel tem uma luzinha, não tem preço.
Gastei boa parte de um tempo precioso que serviria para trabalhar no projeto das casinhas - temos até o dia 10 para dar entrada na Caixa Econômica, estou correndo contra o tempo e eliminando algumas diversões (tipo, nada de Virada Cultural), eliminando sono, evitando o supermercado, fazendo o namorado entender que a vida está corrida (ele é fofo e compreensivo sim)... Xi, me perdi nos parenteses de novo! Então, gastei preciosos minutos que poderiam ser revertidos em trabalho, com a vida dela - que em muitas épocas de nossas existências se funde com a minha - mas, fazer o bem é gratificante. Quem ler isto aqui, considere na vida, vale a pena!
Só vou falar como estou me sentindo - não o que fiz - para não pensarem que uso o blog para me promover, porque também não gosto de quem ajuda e fica pagando de bonzinho, só escrevo para dizer que têm certas coisas na vida que dão muito mais satisfação do que a realização de sonhos e consumos egoístas - é só tentar.
Bom, a pausa para descanso da mente já esgotou o prazo permitido, voltarei às minhas planilhas de custos e até um outro dia.

(Quero agradecer ao DO, a Lulu, a Bruninha, a Ju, a Ludi e aos amigos que ficam vindo aqui, mesmo com minha aparente falta de consideração em visitá-los: obrigada mesmo!)

segunda-feira, 21 de abril de 2008

O descanso do mouse


Parando de desenhar um pouco, porque as juntas dos dedos e o punho já estão doendo...
Projetar é legal quando se tem experiência e/ou tempo. Projetar não é tão legal (mas não é chato) quando não se tem tempo... A experiência se adquire fazendo.
É tão bonitinho ver o vasinho sanitário, o seu tubinho de esgoto indo para o ralinho, tudo "inho" e limpinho na tela.
Era o que eu estava fazendo e para onde vou voltar daqui à pouco.
A minha parceira de trabalho fez o projeto da casa tipo e a implantação no terreno. Eu vou terminar os orçamentos (inshallah).

Todo mundo acha que eu sou louca quando digo que virei a noite trabalhando, mas fazer o quê se é a hora que meu organismo escolheu para ser mais produtivo?
Amanhã é feríado, eu acordo tarde e com a missão, senão cumprida, bem adiantada.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Um post para mim mesma

Não precisa ler nem comentar, ninguém vai entender.

Meu senso do que deve ser escrito está muito mais crítico do que a somatória de todas as correções já feitas em todas as postagens deste blog...
Momento de renovar. Como não sou de jogar nada fora (o apego material em coisas que me trazem recordação é de proporções gigantescas na minha vida) talvez eu mude meu jeito de escrever... Talvez mude o foco do que ando escrevendo.
Pensando bem, acho que neste blog nunca tive um foco fixo mesmo. Talvez ter um foco?
O fato é que eu andei lendo o passado registrado neste domínio de minha propriedade... Acho que não era o que eu queria...
Enfim, o que ficar registrado agora, depois que eu clicar no "publicar postagem" deste post talvez não seja compreendido (e nem é para ser) logo, nem precisa ser comentado.
Servirá para eu lembrar que eu quero dar um rumo novo às idéias...
Estou num momento de faxina na vida.
Talvez por isto eu tenha sido tentada a dar aquela geral no guarda-roupas. É inerente ao ser humano limpar a casa, organizar a mesa de trabalho, doar roupas (mesmo com o tal do apego material) quando sente que está perdendo o foco do que se deseja. Lava a alma por dentro.
Estou também com medo do desemprego no ano que vem...
Preciso focar no trabalho, na carreira... Parar de querer tudo e ver se com 31 anos decido de vez o caminho que quero seguir para sempre.
Queria era passar num concurso público, não ter mais um mundo de contas para pagar todo mês, comprar um terreno, construir minha casa, aprender a resistir bravamente ao consumismo (livros, dvd's, sapatos, bolsas, cosméticos, artigos técnicos e tecnológicos, doces, produtos de pet shop, acessórios de dança do ventre...).
Ah, tenho que aprender a me vender - como profissional liberal.
Mas puta merda, dia destes fui ver uma obra, cobrei 10 reais o metro quadrado do projeto (o mínimo que a ética manda cobrar em nossa área). Não é que o cara cotou com um ex-professor - um mesmo que uma vez me ligou no celular que não sei como conseguiu o número para me xingar porque eu dei um comunique-se (lista de coisas a corrigir) num projeto dele, que estava errado, ele dizia que por ter sido meu professor eu não poderia achar erros nele (!!!!) - então, voltando ao assunto, este féla que pensa que me ensinou algo, cobrou metade do preço e ainda forneceu o levantamento planialtimétrico de graça.
Meus colegas de trabalho ao saber do caso, estão até pensando em montar uma associação para poder denunciar ele, e outros, ao CREA.
Enfim, ao cara que quer ter a sua obra, boa sorte com o projeto do Arquiteto Nilton Humberto Melão - também vereador em Barueri.
Agora eu vou dormir.

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Nakombi


Homenagem póstuma ao meu para sempre amado e inesquecível gatinho Nakombi.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Ah o tempo...

Tempo que anda curto novamente.
Maior que minha falta de tempo (desculpem-me amigos blogueiros) só a preguiça-mor do J. que inventou de secar as panelas que ele lavou no fogo da boca do fogão...
É ele tenta me ajudar...