segunda-feira, 14 de abril de 2008

Um post para mim mesma

Não precisa ler nem comentar, ninguém vai entender.

Meu senso do que deve ser escrito está muito mais crítico do que a somatória de todas as correções já feitas em todas as postagens deste blog...
Momento de renovar. Como não sou de jogar nada fora (o apego material em coisas que me trazem recordação é de proporções gigantescas na minha vida) talvez eu mude meu jeito de escrever... Talvez mude o foco do que ando escrevendo.
Pensando bem, acho que neste blog nunca tive um foco fixo mesmo. Talvez ter um foco?
O fato é que eu andei lendo o passado registrado neste domínio de minha propriedade... Acho que não era o que eu queria...
Enfim, o que ficar registrado agora, depois que eu clicar no "publicar postagem" deste post talvez não seja compreendido (e nem é para ser) logo, nem precisa ser comentado.
Servirá para eu lembrar que eu quero dar um rumo novo às idéias...
Estou num momento de faxina na vida.
Talvez por isto eu tenha sido tentada a dar aquela geral no guarda-roupas. É inerente ao ser humano limpar a casa, organizar a mesa de trabalho, doar roupas (mesmo com o tal do apego material) quando sente que está perdendo o foco do que se deseja. Lava a alma por dentro.
Estou também com medo do desemprego no ano que vem...
Preciso focar no trabalho, na carreira... Parar de querer tudo e ver se com 31 anos decido de vez o caminho que quero seguir para sempre.
Queria era passar num concurso público, não ter mais um mundo de contas para pagar todo mês, comprar um terreno, construir minha casa, aprender a resistir bravamente ao consumismo (livros, dvd's, sapatos, bolsas, cosméticos, artigos técnicos e tecnológicos, doces, produtos de pet shop, acessórios de dança do ventre...).
Ah, tenho que aprender a me vender - como profissional liberal.
Mas puta merda, dia destes fui ver uma obra, cobrei 10 reais o metro quadrado do projeto (o mínimo que a ética manda cobrar em nossa área). Não é que o cara cotou com um ex-professor - um mesmo que uma vez me ligou no celular que não sei como conseguiu o número para me xingar porque eu dei um comunique-se (lista de coisas a corrigir) num projeto dele, que estava errado, ele dizia que por ter sido meu professor eu não poderia achar erros nele (!!!!) - então, voltando ao assunto, este féla que pensa que me ensinou algo, cobrou metade do preço e ainda forneceu o levantamento planialtimétrico de graça.
Meus colegas de trabalho ao saber do caso, estão até pensando em montar uma associação para poder denunciar ele, e outros, ao CREA.
Enfim, ao cara que quer ter a sua obra, boa sorte com o projeto do Arquiteto Nilton Humberto Melão - também vereador em Barueri.
Agora eu vou dormir.

6 comentários:

DO disse...

Pois eu acho otima a ideia da associação,Carlinha.
Quietos é que vcs não podem ficar.

beijao!!

Lulu on the Sky® disse...

Carlinha, não sofra por antecipação, viva o hj. Se chegar o desemprego, ai vc corre atrás mas não deixe de manter seus contatos. Essa ideia da associação acho otima e dou maior apoio.
Big Beijos

PULCRO disse...

Foco?
Viver o hoje.
Beijos.

http://pulchro.blogspot.com/

david santos disse...

Olá!
Pensar positivo e espreitar a alternativa certa é, nestes momentos, onde seu espírito se deve concentrar.
Nada de medos.

Cláudia Gonçalves disse...

Olá. Hoje, mais de um mês depois desse post, você está melhor?
Sabe, mudanças são sempre boas. Renovam as energias, limpam a alma.
Sobre a possibilidade do desemprego, não apresse o rio. E sobre seu ex-professor deixe-o para lá. Não vale a pena se estressar com gente sem escrúpulos.

Um abraço, Cláudia

Anônimo disse...

Olá .. em Barueri já existe uma associação de engenheiros e arquitetos chamada ASSEAB ... toda e qualquer reclamação de serviço mal prestado pode ser encaminhada ao CREA via CREA e Associação , o telefone deles é 4706-4058 e 4198-9081