terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Pausa para o lanche:

Falei estes dias e eis me aqui novamente trabalhando sob pressão, melhor, sob super pressão.
Trabalhando em casa para vencer prazos.
Procurando o tal funcionário público que não faz nada.
Fazendo o que amo fazer nesta vida.

Entre outras coisas, neste mês, fazendo isto:

- Análise de projetos;
- Vistoria de Habite-se's;
- Atendimento à contrutores tirando dúvidas;
- Anuência em retificação de áreas;
- Orçamento de várias unidades habitacionais para compra unica (pregão);
- Cadastro de campo de habitações em áreas de risco (remoção de família, reforma da casa) e seus respectivos custos;
- Numeração oficial da cidade...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Sou mulher, mas sei que não existe rebimboca da parafuseta

Fiquei virada no Belzebu... Cheguei como o Diabo gosta lá na oficina.
Não dá para engolir, quase matei o dono:
- O carro ficou aí quase vinte dias enquanto eu viajava e continua com problemas para pegar, pior que carro a álcool, isto porque estamos neste calor infernal?
- Puxa, mas ele (o "mecânico") diz que colocou o carro no ponto...
- Só se for ponto morto, de morrer mesmo... Será que este problema não está nas velas, já que o carburador está novinho?
- Pode ser, podemos trocar as velas para ver.
- Caralho!!! Trocar as velas para ver? Depois você troca a bateria, o motor, todas as peças para ir descobrindo. Vá pra puta que te pariu... Sou mulher mas não sou burra. Não existe um teste para ver se as velas estão boas?
- É, existe sim. Podemos fazer...
- Ah tá.

Velas trocadas, viro a chave:
- Caralho!
Vou no meu "amiguinho" do carburador, como se referiu o "mecânico" acima. Pelo menos ele não me chama de trouxa nas entrelinhas, nem subestima minha inteligência.

domingo, 13 de janeiro de 2008

Noite adentro

Procurando algo para fazer enquanto a geladeira descongela... Se eu levar o ventilador para a porta daquela que não é uma Brastemp, não terei nada para fazer com que a fumaça do cigarro saia pela porta... Pois é, só fumo na sala com a porta aberta e o ventilador do lado - mesmo que esteja muito frio.
Acho que vou pegar o secador de cabelos e fazer como o meu pai que, nesta minha mini férias lá em Natal, resolveu o problema do descongelamento demorado justamente na hora em que eu assistia "A Casa da Lagoa" (sim, é "da Lagoa" mesmo, coisas de vídeos piratas).
Acabei de dar uma limpada boa na casa, daquelas de passar cera líquida no chão. Sou realmente notívaga... Tenho muita disposição para fazer faxina de madrugada. Apenas tive o cuidado de não usar o aspirador de pó, respeito pelos vizinhos que nem sempre me respeitam no quesito barulho.
Desde que dispensei o J. que ficou em São José dos Campos, pois hoje teria centro e não teve, resolvi correr atrás das minhas pendências. Já fui até ao supermercado.
Sábado à noite é programa de família visitar mercado, eles entopem os corredores: tios, avós, crianças, papagaio...Haja paciência. De qualquer forma, eu tinha mesmo que ir, estava correndo o risco de ficar sem papel higiênico e o Nakombi sem ração (ele prefere Whiskas).
Só não tenho paciência para conversar no MSN.
Então depois do prato de sopa de legumes que fiz (com todos os temperos a que tenho direito e quase nada de sal - estou acostumando meu organismo a não precisar de sal), acho que vou assistir algum DVD e terminar com a garrafa do cabernet sauvignon que ganhei de uma construtora como mimo de natal, enquanto a geladeira termina de descongelar sem ventilador ou secador...
PS: Para conservar os alimentos durante o processo, caixas de isopor são uma boa.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Meu desktop


Copiei da Ju.
Na foto J. na Serra da Mantiqueira.

Obrigação

Funciono bem sobre pressão no lado profissional ... É como um motor de arranque para esta velha máquina render. Adoro no trabalho me sentir sobrecarregada, embora reclame, quando falta isto, sinto que não produzo. Mas, pára por aí...
Blogar para mim, só por prazer, ler blogs durante noites inteiras, procurando postagens antigas, tentando descobrir um pouco da personalidade do proprietário dos textos.
Um dia isto aqui virou obrigação.
Visitar virou obrigação.
Dei um tempo.
Voltei, tentando de um novo jeito, obter o que sempre quis quando comecei: ler e escrever aqui ou por aí por prazer...

PS: gostaria que a Juliana que escreveu aqui deixasse o endereço do seu blog...

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Gato com alma de cachorro

Nossa, tirei as teias disto aqui e acabei meio que me reviciando (se a palavra não existe, inventei agora).
Pois bem, preciso deixar isto guardado para a história (será que blogs servirão um dia para saber o que pensavam os serem de antigamente - quando formos de antigamente - tanto quanto serviram as tumbas e desenhos em cavernas?).
Voltando ao assunto principal: voltei de viagem segunda-feira, mais uma vez fui à Natal.
Isto pode soar meio esnobe, mas não aguento mais ir para Natal. Justifico: como a minha família se mudou para lá há dez anos, todas as férias tenho que empenhar uma grana para conhecer sempre o mesmo lugar...
Nem vou contabilizar o quanto gastei e/ou poderia ter feito fazendo isto. Mas, família é família e eu amo ter com os meus...
Bom, agora eu tenho um gato e, neste caso, ao contrário da Olívia que eu levava para viajar comigo antes dela fixar residência em terras potiguares, um felino não se adapta bem a este tipo de missão.
Resolvi pagar uma vizinha para cuidar dele. Ela vinha trazer comida e trocar a água todos os dias...
Mas meu bichinho, como há muito eu suspeitava, tem alma de cachorro mesmo, ou algum outro complexo de identidade.
Ele não roça minhas pernas quando eu chego em casa, simplesmente vira a barriga para cima.
Ele me espera todos os dias às seis em ponto no portão, que é quando eu chego do trabalho. Meu pai comprovou isto quando ficou alguns dias por aqui, e também alguns vizinhos já puseram reparo neste hábito do felino.
Agora o de doer mesmo, foi verificar que ele simplesmente emagreceu enquanto eu estive fora, está só pele e osso (e não foi falta de comida, tinha gente cuidando dele).
Depois fiquei sabendo que ele chorava quando via o carro da minha amiga, indo me procurar lá dentro (as vezes eu saio e volto com ela, ele já sabe).
Pelo menos sei que não ficou abandonado, ele tem os amigos do bairro, que frequentam minha casa e, exatamente por isto, recebem mensalmente, desta que escreve, borrifadas de Frontline (antipulgas eficaz, porém nada barato) para eu poder deixá-los entrar e sair sossegados daqui de casa... Talvez sossegada seja eu, me prevenindo de pulgas...
E na certeza de que acabei me perdendo no que queria registrar, vou terminar este post por aqui.

Prazer

Onde tenho muito prazer em ficar navegando:

http://www.flickr.com/photos/carlinha

O legal de ter tido meu Flickr antes dele virar febre no Brasil, foi poder ter o "carlinha", simples assim, no meu endereço.
Mês que vem pago minha terceira anuidade como pró.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Resoluções para 2008

Nunca fiz resoluções de ano novo, mas considerando que sou uma pessoa que funciona melhor "ticando" itens de listas do tipo "a fazer", cá estou eu anotando minhas resoluções:
  1. Aprender bem a dança do ventre, seja na aula, seja em casa assistindo os vídeos baixados na internet ou treinando exercícios até que saiam perfeitos;
  2. Terminar de bordar a roupa de dança que comecei;
  3. Acabar o ano com uma boa poupança;
  4. Para o item anterior dar certo: ganhar dinheiro;
  5. Comprar menos, muito menos;
  6. Viajar mais com meu namorado;
  7. Dar atenção aos amigos não virtuais;
  8. Passar num concurso público, e;
  9. Dormir mais.

Acho até que tem pouca coisa.