sábado, 9 de setembro de 2006

Chispita e cabeludos

Cabeça de mulher é complicada. No ranking das complicações a minha encabeça (perdoem-me o trocadilho) a lista.

Por falar em cabeça tenho que confessar que, apesar de amar meus cachos, esta foi a primeira semana em muitas (creio que desde o início do outono) em que usei meus cabelos ao natural (mezzo, mezzo tem a caseira escova progressiva que doma os cachinhos e não os destroem, um dia conto o segredo).
Puxa vida, demorou para eu gostar dos cabelinhos crespos e, apesar disto, por pura falta de tempo, venho mantendo-os lisos à base de escova e prancha. É mais prático. Nestes dias frios me faz ganhar tempo pela manhã e não preciso molhar... Só pentear e pronto!
Por estas e outras o J. falou que eu deveria dar um curso de otimização do tempo. Modéstia a parte, sou boa nisto. A ocasião faz o ladrão, e jornada tripla não é nada mole... ganhar tempo é fundamental.
Falando nele, um dia brincando de se eu ainda gostaria dele se os seus cabelos caíssem, se ele ficasse gordo, barrigudo, ruivo, etc. eu disse que gostaria dele até se ficasse amarelo, desde que o cabelo continuasse liso, rs.
Porque cabelo cacheado é lindo, mas dá um trabalho... Ah, e gera traumas também. Que o digam minhas lembranças da infância . Eu só ficava bonitinha quando minha mãe fazia duas trancinhas e eu ia toda faceira para a rua esperando me chamarem de Chispita (desenterrei esta!), e ficava feliz. Adorava!
Só que nem tudo eram flores, já disse. Dormir na casa das amiguinhas, por exemplo, pois ao contrário de minha mãe que tem cabelo liso, mas domava meu hair tão bem, nenhuma delas cuidava do meu cabelo direito, e lá ia eu brincar horrivelzinha...
Daí que contrariando o que eu e todos que me conhecem pensamos, a minha tara por cabeludos da adolescência nada deve ter de amor ao rock and roll... Acho que deve-se aquele instinto de procriação presente nas mulheres em escolher um bom parceiro, porque querendo ou não, cabelo comprido mostra de cara se é bom ou bombril, rs.
Para finalizar, pensando bem, eu hoje, não amo um cabelo. Declaro aqui que o amaria mesmo se seu cabelo ficasse crespo... mas... sabemos bem que isto é impossível. Ufa!

3 comentários:

Carol disse...

Outra coisa que herdei de vc: minha tara por cabeludos =PPP

Tadinha da minha irmã, o cabelo de buxinha dela =X, inda bem que tenho cabelo liso x)))

Hohohohohohoohhoo...

Amoamo vc =D

Andréa N. disse...

Que engraçado vc estar falando de cabelos, Carlinha. Eu gosto muito dos meus cachos, mas só por diversão acabei de comprar aquele ferro "flat iron" na farmacia e deixei o cabelo liso como japonesa. Adorei a mudança e o "faça vc mesmo" que os americanos já fazem tão bem. Eu, que nao sei nem escovar um cabelo ou tirar uma cutícula, estou me sentindo a própria profissional, hehe.
Beijoca.

Fernanda disse...

Realmente, cabelo crespo dá um trabalho...! Aderi à escova progressiva pela praticidade (nada como acordar, passar um pente no cabelo e sair) e porque diminuiu o volume. Se meu cabelo não fosse volumoso talvez eu até convivesse com ele...

Te mandei um e-mail.

Beijos.