segunda-feira, 16 de abril de 2007

Família

Meu pai já dizia, que amigos é melhor que parentes, pois neste caso, pelo menos podemos escolher... Eu, às vezes acho que temos a família que temos porque precisamos pagar ou resgatar algo com eles.

Meu pai nunca foi o pai carinhoso que eu quis ter. Eu o amo e admiro, e me sinto cada vez mais igual a ele em certas atitudes, mas aquela ligação que dizem toda filha ter com o pai, nunca existiu... Não sei o que é colo, beijos, apertões dele. Embora ele tenha sido um pai exemplar e que se esforçou muito para nunca me faltar nada...

Me deixou morando na casa dele (ele poderia ter vendido) quando foi embora para Natal e eu não quis ir.

Mas, onde eu queria chegar com este post, é o fato de família ser algo chato às vezes, quando acontecem problemas que você não pode resolver, como hoje quando minha mãe me ligou e meu pai estava alterado querendo sair de carro e me pediu para tentar falar com ele para não deixar ele ir... Eu daqui de longe 3000 km... Me irritei duas vezes: uma por não poder fazer nada e outra pela situação. Depois vem a culpa. Mas o que eu poderia fazer?

Meu pai estoura sempre, minha mãe já está perdendo as forças... Se bem que eu no lugar dela já teria perdido há muito, mas o que fazer, se apesar de tudo nós o amamos e gostamos dele. E ele, não sei porque, mas a carinha do meu pai me dá pena. Tem até um homem na novela das oito, avô das gêmeas, que me dá pena de assisti-lo porque ele lembra meu pai e a imagem dele me comove... Tinha um proprietário no condomínio que a arquiteta dele não dava jeito de acertar os recuos do projeto, e eu contrariando o que deve ser feito, tentava dar dicas para ele pois ele também parecia com o meu pai e eu ficava com dó dele não conseguir aprovar o projeto.

Bem, eu os poupo, não contei quando atropelei o motoqueiro, nem quando bati o carro. Mas, todas as decisões que eu tomo, ou vou tomar, faço questão de que passem pelo crivo deles (meus pais) que apesar de não se meterem deixam bem claro que me apoiarão em qualquer que seja a decisão tomada e/ou resultado.

Só que tem dias que irritam, ou sei lá definir o que senti hoje. Dó da minha mãe que eu amo e acho guerreira e raiva do meu pai porque ele tinha bebido.

É família né? E se eu escolhi ou escolheram para mim... Tenho que tentar levar da melhor forma. E, embora faça falta, tem vezes que é bom estarem longe... Como há pouco, mas meu coração ficou apertadinho.

2 comentários:

LIno disse...

Carlinha:
Embora as vezes nos irrite, família é tudo. Sem ela, acredito que não somos nada. Problemas são normais, mas é quando os temos que vemos como a família é importante.

Carlinha disse...

Lino é uma verdade, acho que família perfeita não existe, embora devamos agradecer por tê-los.
Beijos!