sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

Retrospectiva 2006

De acordo com a Micha, hoje é dia de retrospectiva, e de falar sobre os planos para 2007.

Como aluna aplicada, e às vezes precisando de temas para escrever outras coisas, vamos lá:



(Escrever é terapia, desde os doze anos coleciono diários tradicionais).

Foi no ano de 2006 que decidi criar este blog, nem eu mesma sabia como era bom isto aqui. Por vezes me assusto com o teor de meus devaneios publicados e tenho pena das pessoas que lêem e se preocupam, porque já que fiz alguns amigos aqui. Porém se fez necessário para que eu me libertasse de algumas angustias e pudesse compartilhar sentimentos (entre eles alegria e amor) que ficam atolados na garganta precisando de um escape.

Também foi o ano em que consegui realizar um dos sonhos da minha vida, ser engenheira civil. Acabei de concluir a tão sonhada faculdade. Por sinal paguei o diploma hoje (no sentido de dar entrada nos papéis na faculdade e não de comprá-lo, meu sonho foi conquistado no verdadeiro sentido da palavra). Ainda não caiu a ficha do que significa isto, mas um peso enorme da tensão dos estudos saiu das costas...

Na parte emocional da vida, digo que comecei com o pé direito. Estava totalmente feliz e equilibrada, feliz comigo mesma, e gostaria que tivesse sido sempre assim... Mas já foi um grande passo, aprendi que em primeiro lugar na minha vida sou eu, embora nem sempre tenha praticado isto.

Principalmente porque Deus me deu um Presentinho em 2005, mas foi em 2006 que se configurou presença na minha vida mesmo. O sonho do amor. Que delicia de momentos que passei, da espera, da cumplicidade, da amizade, dos sonhos em comum, do amor verdadeiro. Pela primeira vez na vida me senti completa, feliz e não tinha medo de dividir com ninguém o que sentia... Brilhava os olhos a qualquer pessoa, mesmo que estas não quisessem ver.
Entro em 2007, sem saber se este “presente” continuará a fazer parte da minha vida. Se foi apenas algo com duração limitada, eterno enquanto durou. Não sei, deixa o Sr. Ano Novo resolver, o que não está em minhas mãos, resta esperar.

"Concedei-me Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que eu não posso modificar, coragem para modificar aquelas que eu posso, e sabedoria para distinguir umas das outras”.
Confesso que ainda não tenho planos mirabolantes ou concretos, embora nunca deixe de sonhar com um mundo melhor (sou pisciana nata), os sonhos estão turbulentos, há tanto que se fazer, que se realizar. Não sei se presto concurso público, se troco de carro, se me mudo para Natal, se procuro outro emprego, se faço uma pós, se dou entrada no meu primeiro apartamento (a casa aqui é do meu pai)...

Deixarei rolar, e escolherei o que me parecer melhor diante das circunstâncias. Sem sonhos programados, mas não sem desejar (viagens).

De concreto, pretendo apenas me matricular numa aula de Pilates, desenvolver HTML como terapia, praticar Autocad e realizar algum trabalho voluntário – penso a princípio em dar aulas aos pedreiros e ajudantes do condomínio em iniciação técnica na construção civil (leituras de plantas, pequenos cálculos de volumes, áreas, inclinações, consumo de material). Acho que terei tempo, e fatores externos dificilmente influem em planos deste estilo e, se influírem, não será nenhum castelinho de Cinderela desmoronando.

O resto, que venha o que tiver que ser, pois qualquer que seja, será o melhor. Sempre é. Até porque estou meio cansada de planejar, vamos ver se consigo.

E ficam registrados aqui meus sinceros votos de tudo de bom em 2007 para todos, para o caso de eu não voltar postar até o ano que vem! (Adoro falar “ano que vem”, parece tão longe e é só daqui a três dias).

Beijos e sonhos realizados, programados ou não.

3 comentários:

Naeno disse...

Não tenha nenhuma dúvida quanto a isto.
Deus já faz suas escolhas daqui mesmo.
Veja nos mendigos, quantos você encontra mortos por aí. Nenhum.
Veja o exemplo das grandes catástrofes mundiais. O resultado foi a reconstrução, a elevação do restantes dos homens. Os que foram, foram como exemplo.
Deus tem disso. Ele usa muitas coisas e muitos homens como exemplos para que outros assim o vento se salvem.

Um beijo na pele do teu coraração.
Naeno

Naeno disse...

DEUS
... Ah, aqueles anjinhos, criação de Deus! Da necessidade humana de proteção, meiguice, carinho, descanso e gozo. Deus criador e criatura do homem, pela necessidade de mais vida, ou vida, já que as coisas por aqui andam tão tirando da gente, que nos deixam à exaustão. Não existisse Deus, naturalmente, - pura quimera - , por obrigação Ele se faria. De si mesmo Deus se faria, e faria tudo o que fez, com os mesmos cuidados. Deus uma auto criação, que cabe aos homens o sonho a idealização de sua imagem, forma, magnitude. Deus é onipresente por estar arraigado, cravado em cada um de nós como sinais; Deus é Onipotente por potencializar os homens que O contém, para as realizações válidas, que a Deus interessa e se destinam, como o bem, o bom, a caridade, a simplicidade, a alegria, o riso, o choro, a vida, a morte que é vida, em inicio sem tempo para o fim. Deus seria obrigado a se auto-projetar aos homens que desde os primórdios clamam, falam, pedem, imploram, oram, humilham-se, dedicam-se, vivem por fim, pela simples garantia da vida eterna, diferente da que passamos aqui, inodora, de amor, de paz, de descanso, de reconhecimento, de igualdade, de brandura, perfeita como são todas as coisas feitas pelo Altíssimo. Deus teria forçadamente que inventar-se tamanha a necessidade do homem de quem os assista, lhes confortem, lhes assegure: as benesses da vida celestial. Clamam os homens por muito tempo por Deus, que os tem respondido, satisfeito, caso não, de nada interessaria o homem ser virtuoso, pois o faz na esperança de ver a Deus, criador e criatura sua. No entanto Deus não é invenção, e a criação a que me refiro é a de se sentir pulsar dentro e fora de cada um de nós uma força, um poder encaminhador, uma impulsão para a prática de coisas lícitas e agradáveis aos olhos de Deus. As formas, o jeito, a composição foi o que apenas o homem conseguiu engendrar, sem saber ainda o certo. O certo é Deus, o errado é a inércia, o não aprofundamento, não imaginar Deus na sua forma, do jeito que Ele cons conforma, nos alivia, nos consola, nos tira da aflição.
Deus provocou e ainda suscita nos homens olhares para Ele, e, a criação do homem que, puramente é criatura, se resume em apenas dar formas, poder e graça ao que não ver, e confiar no que crer ser, e é, Deus, criador de tudo e de todos. Sua obra mais importante foi dá vida e intelecto ao homem, inquietá-los a poderem também serem criadores. Um feliz natal, e que todos os anos restantes a cada um de nós sejam bens, que toda semente que lançarmos ao solo, faça-se rachar para o nascimento da árvore, que folhará, florescerá, e carregará de frutos bons. Que DEUS ajude em conseguirem a todos quanto, o imaginam da forma que ELE não é, a verdadeira imagem, poder e glória dEle.

Naeno

Blogue da Magui disse...

Realmente é uma grande conquista ser engenheira.Um curso difícil e que exige muito estudo.Eu tenho uma irmã engenheira mas parece que a profissão é muito dura.Ela trabalha pra caramba!Agora é olhar para frente e tudo vai dar certo.Qt aos amores,eu semte vivi o presente porque o amanhã ninguém sabe e podemos perder para a morte.
FELIZ ANO NOVO !