quarta-feira, 16 de agosto de 2006

Sem título

Não tenho aula na hoje e cá estou em casa, assistindo horário político... Isto depois de ter detonado a panela de brigadeiro que estava na geladeira (é, às vezes sobra), ter "atualizado" a manicure (passei calor na faculdade ontem e nem pude colocar as garrinhas dos pés para fora). Tomo uma xícara de sopa instantânea, já pensando no que ruminar depois... De posse de uma taça de vinho e cigarros, penso.
Penso e falta inspiração. Não sei o que escrever...
O fantasma vem à tona. O mesmo fantasma que me afligia na infância quando eu pensava no que seria ao crescer:
"Arquiteta? E se me faltar inspiração na hora de bolar uma casa e eu não conseguir fazer nada?
Escritora? E se depois de gastar minhas idéias num primeiro livro não conseguir ser mais criativa?
Estilista? Decoradora? E se..."
Acabei engenheira, quer dizer, quase, faltam alguns meses e uma monografia.
E tenho um texto sobre estrutura de pontes para resumir e ainda me atormento com a cobrança interna de ter que escrever algo aqui... Mas não consigo... Não, não é fantasma, é realidade.
Daí olho para o topo da tela e vejo que já digitei o suficiente para um post e ainda não escrevi nada.
Ao menos algo de bom: ontem todas as pessoas da minha turma comentaram: "já!!! tudo isto?" quando eu disse ter feito apenas duas folhas do meu TCC (sem progresso até agora).
Seremos todos uma farsa? Não sei, melhor ir ao resumo...

2 comentários:

Andréa N. disse...

Vai botando tudo no papel. Depois fica mais facil mudar, cortar, adicionar. Quanto mais coisas vc botar no papel com antecedencia, mais ideias surgirao quando dali uns 2 dias vc reler o que ja fez. Inspiracao pra ti!
Beijo.

Carlinha disse...

Obrigada Andréa, eu até faço isto, mas como sou Chaves ou a maior vitima da Ley de Murphy, todos os meus rabiscos estavam juntos na minha agenda presos esquecidos no trabalho...
E, e nada caberia neste dia sem imaginação!
;)