quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Feliz, apenas feliz

Porque só escrever quando estiver triste? Estou feliz...
No meu trabalho, entre mortos e feridos, parece que estou fazendo gente que antes me odiava acreditar no meu potencial.
Confesso que este gostinho é melhor que o da conquista imediata da simpatia, me dá chance de provar quem sou realmente... e tem sabor de vitória.
(Espero não estar enganada).
Tem o amor... Ah, o meu amor.
Esta combinação, uma coisa boa que experimento a cada dia...
Só não combinamos numa coisa: o J. odeia a exposição ao contrário de mim que se pudesse...
Quer dizer, tenho uma certa vergonha de parecer brega, piegas.
Isto me contém um pouco. Se pudesse, meu orkut estaria cheio fotos do casal, de corações e florzinhas.
Apesar de adorar uma certa exposição, morro de medo de imaginar um dia um carro de som em frente minha porta. Juro que não atendo.
Acho que não corro o risco, não com este par.
Tem mais um monte de coisas pelas quais estou feliz.
Não consigo relatá-las, talvez nem mesmo decifrá-las.
Só sei que não ando com aquele nó na garganta e a angustia no peito que por vezes me ocorrem.
Fiz uma sessão de reiki a semana passada. Penso que dei trabalho para a mulher...
Penso também em porque falar que estou feliz.
No fundo quero provar que felicidade e a leveza na alma pode ser registrada.
Que não é só a tristeza que tem sua beleza e, as vezes, parece exercer um certo fascínio em mim.
E em muitas pessoas...
Vejam por exemplo Romeu e Julieta, o manjado Cidade dos Anjos...
Acho que não sou só eu que me atraio pela poesia escondida na tristeza e na delicia de curtir uma fossa.
Mas é isto, estou feliz e registrei, mesmo não sendo bonito de se ler.
A alegria também pode ser bela e fascinante.
E acho que um dia conseguirei ser menos mala, não me expor tanto e obter o almejado mistério que eu desejo ardentemente provocar nas pessoas...


Um comentário:

Carol disse...

Nossa....

Por vc estar feliz fico feliz também, porém isso de chamar atenção não é de hoje...
Ô menina cê parece uma alegoria, tanto triste ou feliz... ;P

Te amo Bundinha =**

Ah... Nem eu abriria a porta se alguém aparecesse com um carro fazendo homenagem, ao som de SPC ou Roberto Carlos... Hohohohohoho!