domingo, 6 de julho de 2008

Carla

Estes dias andei falando bastante sobre o significado do meu nome. Agora, com trinta e um anos, eu adoro meu nome inteiro.
Demorou para eu gostar do meu segundo nome.
Também pudera, ter dois nomes era sinônimo de personagem de novela mexicana: Pablo Roberto!
Meus irmãos sortudos (na minha antiga visão): Carolina e Eduardo apenas, depois o sobrenome.
Por que eu Carla Regina?
Lembro-me duma época que meu pai tinha ficado meio decepcionado com o fato deu não utilizar o Regina. Sim, eu escrevia cartas e preenchia formulários esquecendo do meu segundo nome.
Um consolo é ninguém nunca ter me chamado pelos dois nomes, ou o que poderia ser pior, apenas pelo segundo nome.
Eles (meus pais) explicavam que Regina significava Rainha, e que a sugestão tinha sido da minha futura-ex-nunca-foi madrinha de crisma... E eu sempre gostei desta senhora, mesmo com este porém na minha certidão de nascimento.
Mas como eu ia dizendo lá em cima, antes de encher este texto com um monte de linguiça, é que hoje em dia eu adoro meu nome inteiro.
Adoro, principalmente, meu primeiro nome.
E tem uma coisa que me faz gostar mais dele ainda, e ilustro com isto uma frase de um amigo meu: "Carla é nome de mulher bonita. Toda vez que você liga no meu trabalho eu percebo o que a sonoridade do teu nome provoca na mulherada ao redor."
Carla, Carla, Carla.
Sem modéstia, fico feliz ao imaginar as pessoas associando um "a Carla ligou" com uma moça bonita.
E o melhor, meu nome "Carla", é de grafia simples, sem aquelas pirações de "k" no começo ou dois "l" no meio. Chique!

Nenhum comentário: