quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Residência em Medicina Veterinária

Sinto assumir, mas é nisto que se transformou minhas férias. Vejam as especialidades:

Felina
O caolhinho que agora tem nome: Félix, se bem que eu ainda tenho minhas dúvidas sobre seu sexo – como é difícil definir o sexo de um gato, isto eu aprendi.
Duas vezes por dia temos que limpar o local do olho extraído (que ainda tem alguns pontos) e passar uma pomada cicatrizante. O outro olhinho uma pomada antibiótica para que o problema não ocorra do outro lado também.
Sem falar que ninguém daqui de casa consegue ser indiferente aos seus primeiros tudos da vida: as brincadeiras, a hora do leite, o soninho. Que bom seria se os filhotes não crescessem, mas mesmo adultos não deixo de amá-los.

Canina
A Olívia, que foi adotada por mim em SP – vivia nas ruas, e hoje mora com meus pais em Natal, resolveu cruzar com o vira-lata mais horrível do mundo. Meu pai que não é muito sensível, embora ame os bichos, e já faz o favor de cuidar dela não aceitou o fato e disse que não queria saber de filhotes.
Claro que vira-latas quando dá cria é logo um monte de uma vez. O que fazer? Levar embora e eu cuidar de todos não dava.
A opção foi recorrer à pílula (no caso injeção) do dia seguinte para cães. Mas, nem tudo que parece ser bom é fácil. A veterinária daqui (a mesma do gato) nos convenceu de que seria um aborto, não era recomendável nem 100% eficaz e a solução seria castrar – assim evitaria problemas futuros.
Mesmo pensando com meus botões que retirar o útero da minha Olivinha seria o mesmo que abortar os possíveis fetos de cachorros, era uma boa solução.
Ai se arrependimento matasse, tenho hoje uma cadela mutilada, com sete pontos na barriga e tendo que usar uma cinta no corpo. A operação foi ontem.
Logo, não consigo me imaginar abandonando o lar por muito tempo enquanto seu estado for de recuperação.

E eu achando que estava de férias. Volto em breve para minha casa diplomada em cuidados médicos veterinários. Se em veterinária propriamente dita eu não me transformar creio que uma boa enfermeira pelo menos eu serei.

Nenhum comentário: